Os canários da linha clara

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Os canários da linha clara

Mensagem por Davi Hemerly em Sex Fev 22, 2013 10:42 am

Os canários da linha clara

Histórico e generalidades

A cor dos canários se manifesta basicamente por 3 fatores: presença de melanina, pigmentaçăo lipocrômica (cor de fundo) e categoria (distribuiçăo do lipocrômo na plumagem).

A melanina é um pigmento de origem protéico que ajuda os seres vivos a se proteger dos raios solares e no caso dos pássaros representa um grande aliado na camuflagem para se proteger dos predadores.

Já no inicio do século XVIII surgiam nas criaçőes em cativeiro alguns exemplares mutados que apresentavam em suas plumagens ausęncia parcial de depósito de melaninas, dando um visual de manchas claras na plumagem.

Um trabalho simples de seleçăo foi aumentando as áreas de ausęncia de melanina, até obter canários completamente claros, sem a menor manifestaçăo melânica na plumagem fato este que gerou um grupo diferenciado de canários chamados de linha clara". Todos estes canários eram originariamente amarelos. Introduzindo novas mutaçőes além do fator vermelho, os canários da linha clara totalizam hoje 36 cores diferentes que tentaremos analisar a seguir.

No Brasil, temos verdadeiro orgulho de possuirmos uma grande quantidade de criadores de alto nível técnico especializados nestes canários, e um padrăo competitivo excepcional. Identificaçăo, avaliaçăo e julgamento.

A ausęncia de melaninas e a subplumagem branca, săo as características próprias destes pássaros.

Os canários da linha clara săo subdivididos em 4 grandes grupos:

1)sem fator vermelho de olho preto

2)sem fator vermelho de olhos vermelhos

3)com fator vermelho de olhos pretos

4)com fator vermelho de olhos vermelhos

Nos grupos 1 e 2, assim como nos 3 e 4, a forma de julgamento é idęntica mudando apenas a presença ou năo de olhos vermelhos.

Nos canários de linha clara 50% do valor total de julgamento se atribui ŕ qualidade da cor, composta por dois elementos:

Variedade (qualidade, quantidade e distribuiçăo da cor) 30% dos pontos

Categoria (qualidade de intensos, nevados ou mosaicos) 20% dos pontos

No caso especifico dos brancos e brancos dominantes, junta-se a variedade e categoria numa única avaliaçăo, pois trata-se de exemplares com ausęncia de cor e sem manifestaçăo visual dos fatores intenso, nevado ou mosaico.

Desprende-se entăo, que tanto a variedade como a categoria dos canários de linha clara, tem uma importância muito maior do que nos canários chamados de "linha escura" e, tanto na hora do acasalamento como no julgamento, nos devem inspirar especial atençăo.

Faremos um rápido comentário sobre a composiçăo das cores dos canários de linha clara e suas principais características.

VARIEDADE (LIPOCRÔMO OU COR DE FUNDO)

Branco năo é uma cor ou lipocrômo, e sim a ausęncia do. É o canário com menos elementos ŕ serem avaliados no que refere ŕ cor. 50% da pontuaçăo destes canários recai exclusivamente na sua brancura.Por este motivo e pela própria delicadeza da cor branca, săo os canários onde o preparo tem maior importância.

Branco dominante sua situaçăo é semelhante â dos brancos, com u única exceçăo de que apresenta "incrustaçőes" amarelas nas asas. É importante que apresentem o mínimo possível de incrustaçőes de cor amarelo limăo, mas lembre que as mesmas devem ser visíveis sem esforço visual exagerado.

Amarelo tręs elementos caracterizam a qualidade destes exemplares: qualidade, quantidade e distribuiçăo.Na qualidade, devemos apreciar um amarelo puro bem definido sem tendęncias para tonalidades douradas.Na quantidade (como a palavra indica), esperamos que os exemplares tenham a virtude de depositarem a maior quantidade de lipocrômo na sua plumagem.Na distribuiçăo, esperamos que ela seja o mais uniforme possível, valorizando os canários que apresentarem a mesma cor, da cabeça até a ponta da cauda.

Observaçăo: as características de qualidade, quantidade e distribuiçăo acima descrita, săo comuns năo só para os canários amarelos, mas também para os amarelos marfins, vermelhos e vermelhos marfins. Para evitar sermos redundantes, năo as repetiremos» na descriçăo das cores ŕ seguir.

Amarelos marfins esta mutaçăo provocou um efeito diluidor na cor amarela, dando uma tonalidade amarfilada. Lembremos de todas formas que se busca a máxima expressăo do lipocromo, de tal forma que uma vez identificado sem dúvidas o fator marfim, valorizaremos aqueles exemplares com maior expressăo de lipocromo.

No Vermelho quanto maior a expressăo do vermelho e mais brilhante, mais valorizado será o exemplar. Vermelho marfim a mutaçăo marfim deu ao vermelho uma tonalidade rosa característica.

Assim como nos amarelos marfins, uma vez que năo tenhamos dúvidas da atuaçăo do fator marfim deveremos preferir aqueles pássaros com maior expressăo de lipocromo.

CATEGORIA

Tręs elementos compőe a categoria: intensos, nevados e mosaico machos e mosaico fęmeas Intensos: o depósito de lipocromo na totalidade das penas, chegando até a borda das penas, da ŕ estes exemplares um visual de total presença da cor de fundo, sem presença de qualquer "escamaçăo" branca .

Nevados: nestes canários, a borda das penas é branca, dando um aspecto de escamaçăo ou nevadismo.As bordas brancas das penas devem ser finas, nítidas e bem distribuídas pelo corpo todo.

Mosaico machos: uma distribuiçăo pela plumagem de regiőes com predominância de lipocromo e outras com predominância de branco, fazem destes pássaros exemplares onde o desenho e o contraste marcam a qualidade.

Havendo marcado dimorfismo entre machos e fęmeas, os mesmos săo julgados separadamente.

Os machos tem como característica principal, a presença de uma ampla e bem delimitada máscara facial. A presença de um lipocromo intenso na mesma, assim como nos ombros e uropígio e a presença de lipocromo restrita ao centro do peito, săo as características fundamentais.

Mosaico fęmeas: a característica principal que as diferencia dos machos é a presença de apenas um risco de lipocromo na altura dos olhos, contrastando com um branco puro no resto da cabeça e corpo, com exceçăo dos ombros e uropígio bem intensos. Fundamental é que o desenho do risco na altura dos olhos, seja o mais nitido e intenso possível, pois e parte fundamental do desenho. Verificamos também a importância de um uropígio o mais intenso possível.

As combinatórias dos diferentes tipos de variedade com os diferentes tipos de categoria, geram todas as cores dos canários chamados linha clara, com exceçăo dos brancos e brancos dominantes. Nestes últimos a categoria năo se manifesta indicando na ficha de pontuaçăo (conforme acima descrito) que variedade e categoria serăo avaliadas em forma conjunta.

ACASALAMENTO

O acasala mento requer técnicas que năo podem ser descuidadas.

Aqui văo algumas dicas importantes:

Verifique os elementos de maior pontuaçăo na ficha de julgamento da OBJO e dę especial prioridade aos elementos com maior valor em pontos.

Tenha presente que as fęmeas em geral tem menos lipocromo e qualidades de categoria inferiores aos machos. Assim sendo, compare machos com machos e fęmeas com fęmeas ao escolher as matrizes que irăo para a reproduçăo.

Jamais junte dois canários com os mesmos defeitos, pois haverá uma notória tendęncia para que esses defeitos se acentuem nos filhotes.

O grande desafio é somar virtudes e eliminar defeitos, de tal forma que os eventuais defeitos de um exemplar de verăo sempre serem compensados com virtudes do outro canário que compőe o casal.

Mosaicos

Os canários mosaicos merecem um capítulo a parte no que refere a acasalamentos. Se observamos com atençăo o padrăo que se pede para machos e fęmeas no Manual de Julgamentos, poderemos perceber que a obtençăo de Campeőes em ambos os sexos requer um modo de trabalho diferenciado.

Se no macho se valoriza uma máscara ampla e bem intensa já na fęmea se valoriza apenas uma lista na altura dos olhos, se um macho campeăo brasileiro pela impressionante máscara que deve apresentar, jamais conseguirá produzir uma fęmea dentro do padrăo, e o mesmo poderemos dizer de uma fęmea que apenas apresente uma listra na altura dos olhos, jamais terá filhos com máscara muito grande e definida.

Deduzimos entăo que o caminho mais inteligente para obtermos machos bons, seja a partir de fęmeas muito brancas, mas com uma nítida máscara facial que possam transmitir aos seus filhos. Por outro lado, para obtermos fęmeas boas, deveremos usar machos com mascara muito intensa. porém bem reduzida de tal forma a evitar incrustaçőes faciais indesejadas nas filhas.

Álvaro Blasina
Juiz de Canário de Cor – OBJO
Revista COMO 2006
Arquivo Editado em 19/02/2007


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Dicas Importantes:
- Clique no botão [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]para escolher a melhor Resposta.
- Respeite as [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] e conheça as [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
- Como abir um [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
- [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
- Curta a nossa página no Facebook
- Não peça suporte por MP

Davi Hemerly
Administrador
Administrador

Masculino
Sub-Nick : K2
Quantos pássaros você cria? : 2
Mensagens : 9779
Reputação : 868
Idade : 24
Data de inscrição : 04/09/2012
Localização : Vitória ES

Ver perfil do usuário http://www.nacaodospassaros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os canários da linha clara

Mensagem por Isabella Sales em Sex Fev 22, 2013 5:50 pm

Ótimo Texto.


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Isabella Sales
Criador ativo
Criador ativo

Feminino
Mensagens : 3332
Reputação : 303
Idade : 16
Data de inscrição : 06/09/2012
Localização : Uberlândia - MG

Ver perfil do usuário http://diariodascalopsitas.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum